Do instantâneo ao permanente



Estávamos em 1997 quando a minha mãe me colocou uma máquina fotográfica nas mãos, era azul e maior que a minha cara. "Pega com as duas mãos, olha pelo buraquinho e quando quiseres guardar o que estas a ver clicas com força neste botão" depois de ouvir isto nunca mais me cansei de tirar fotografias, fotografava tudo o que adorava, ou seja pessoas, fontes de água e animais. Ela fotografa-me em todas as parvoíces, os primeiros passos, o primeiro dia de aulas, os dias na praia... e não havia nada mais empolgante do que ir buscar à loja o envelope de fotografias depois de serem reveladas. Escolher as melhores, rir das piores e colar tudo no álbum de fotografias, o sítio onde habitam as memórias, pedaços do passado que se tornaram permanentes naquele papel de fotografia.

Há mais de 10 anos guardámos as máquinas analógicas, fomos investindo nas digitais e depois passámos a fotografar quase tudo com o telemóvel, fácil de partilhar mas difícil de guardar com o mesmo carinho no álbum de fotos da família.
Há anos que não vou revelar fotografias, mas na semana passada a convite da Fujifilm fui ao Oceanário para conhecer a nova Instax Square SQ10, uma máquina híbrida, com um ecrã onde podemos personalizar as fotografias que queremos imprimir no momento, de forma instantânea mas que nos permite guardar de forma permanente aquelas memórias, aqueles momentos numa equação que facilmente nos ajuda  a multiplicar sorrisos.
A emoção de fotografar com aquela máquina foi óptima, mas o melhor foi sentir a fotografia na mão, foi saber que a podia guardar para sempre, usá-la como separador de livros, colocá-la numa moldura, dar uma a avó e outra ao avô, segurá-la com um íman no frigorífico, colá-la num álbum e por baixo escrever: "Passeio no Oceanário, os pinguins continuavam lindos como sempre e o polvo estava a dormir mas a Madonna visitou o Oceanário no mesmo dia. Foi bom, vou querer recordar para sempre!"

Não é só uma máquina boa e prática, não é boa apenas para quem precisa de fotografias no momento, não é ideal apenas para quem adora fazer diários gráficos (eu!) é perfeita para voltar ao passado e registar os momentos do presente, guardando-os para o futuro.


Fujifilm Instax Square SQ10, €289,99, disponível a partir de Junho e em pré venda na Fnac.
Fica a saber mais sobre a máquina aqui.


PS - Sobre o relógio lindo da foto, é da SWATCH faz parte da nova colecção SKIN, custa €105 e é irresistível porque combina com tudo. É igualmente uma óptima forma de voltar ao analógico e não nos perdermos no tempo.

Etiquetas: