Orgasms for all


Ser feminista também é lutar pela despenalização e pelo acesso fácil, gratuito e seguro do orgasmo. Espero que não seja notícia para ninguém, mas nem todas as mulheres tem a mesma facilidade em atingir o orgasmo, e se por um lado as mulheres já foram penalizadas por terem prazer numa relação sexual, por outro são penalizadas por não gemerem descontroladamente e perderem o controlo das pernas sempre que são penetradas.
Cuidado, este é um artigo sem cuecas, sem tabus e sem limites.

A religião e o machismo conduziram muitas mulheres a um mundo obscuro onde o prazer deve ser contido, um mundo onde o sexo devia servir apenas o propósito da reprodução e onde o prazer feminino estava em segundo ou terceiro lugar, o que fez com que o prazer da mulher não tivesse lugar nenhum, nem na cama nem na sociedade. Muito embora os tempos sejam outros, ainda há quem prefira ajoelhar-se na igreja do que para um "blowjob", e isso traz uns quantos "pesadelos" a algumas mulheres, isso e o facto de nunca terem perdido tempo para se conhecerem, para descobrirem o seu corpo, para se tocarem, especialmente antes de serem tocadas. A masturbação feminina é tão normal como a masculina e deve ser experienciada por qualquer mulher, para que o prazer se torne mais fácil de alcançar, quer sozinha quer acompanhada. Para a esmagadora maioria dos homens atingir o orgasmo é tão fácil como escrever "PornHub" com a mão esquerda. Mas já vimos que as mulheres não tem assim tanta facilidade em atingir o "nirvana".

O sexo é provavelmente a melhor coisa do mundo porque mesmo quando não há orgasmo há prazer. Mas a Durex quer "democratizar" o orgasmo, garantindo que está ao alcance de todos, mesmo das mulheres que experienciam mais dificuldades em atingir o "grande Oh". Depois de ter concluído através de um estudo, que apenas um terço das mulheres atinge o orgasmo com alguma frequência, decidiu criar dois produtos inovadores, desenhados para proporcionar mais prazer à mulher e, consequentemente, ao homem também.
Um dos revolucionários produtos é um gel que é um estimulante clitoriano ("shut up, and take my money." Right?) e o outro são preservativos com estrias e pontos de relevo coberto com um estimulante.


Mas será que isto é suficiente para que passe a haver uma maior consciência quanto à sexualidade feminina, à importância do prazer para ambos e quanto ao respeito pelo corpo e pelo intimo de cada um?
Por achar que é importante que se fale mais sobre estes assuntos vou passar a escrever mais sobre a sexualidade, fiquem atentas.


PS - Se já experimentaram algum destes produtos, contém-me a vossa experiência e se tiverem dúvidas partilhem!

Etiquetas: