mo·da |ó|


mo·da |ó|
Substantivo feminino

1. Uso passageiro que regulade acordo com o gosto do momentoa forma de viverde se vestiretc.
2. Maneira de vestir.
3. Modocostumevontade.
4. [Música Áriacantiga.
5. [Estatística Valor que possui maior número de ocorrências num levantamento de .frequências.


Vamos falar de moda?
A moda é aquilo que nós, enquanto sociedade, colocamos em circulação. Haverá moda sem efectivamente haver um enorme número de pessoas fazer com que algo fique na moda? Se ninguém usasse ganga, a ganga estaria na moda?

Hoje em dia faz-se muita moda que nunca chega a ser moda. É o quê, então? É, possivelmente, uma criação artística, algo que deve ser apenas contemplado e interpretado, mas nunca usado.
Uma das minhas obras de arte favoritas é a Guernica de Pablo Picasso, ela serve apenas para ser contemplada.Um dia expulsaram-me do Museu Nacional de arte Reina Sofia porque estava na hora de fechar e eu continuava a contemplar uma obra enorme, em significado e tamanho. Há obras, criações, peças de arte que apenas servem para uma contemplação abusiva e eterna. Ninguém passeia a Guernica na rua. Também ninguém deve passear sapatos com 20cm de salto. Ambas as coisas são demasiado grandes para serem usáveis. 

E aqui chegamos a um ponto muito importante: a usabilidade. Claro que todos os anos, estação após estação, há génios, artistas e criadores que desenvolvem peças magnificas mas, se eu não conseguir usar os vossos sapatos todos os dias para correr e apanhar o autocarro o problema não é meu é dos vossos sapatos, que são tão artisticamente lindos que não devem sequer pisar chão. Devem estar no MUDE, ou noutro museu qualquer. Devem estar expostos e servirem de inspiração e reflexão. 
Haverá sempre uma "Lady Gaga" a querer usar os vossos sapatos, os vossos vestidos, as vossas jóias pesadas, contudo isso só não chega para ser moda. Porque não sai à rua, porque a Maria em Lisboa, a Sarah em Londres, a Rachel em Nova Iorque, a Gabrielle em Paris não vão usar isso. Vão usar sapatos mais baixos, vestidos fáceis de engomar, jóias simples e com significado pessoal. Elas são quem dita a moda, por andarem, diariamente, numa busca por algo que se adeqúe ao seu estilo de vida. Uns ténis para a Maria que mora em Lisboa, a cidade das sete colinas. Um casaco quente para a Sarah porque o clima de Londres não é fácil. Assim como umas havaianas para a Carolina que vive no Rio de Janeiro. 

[ Haverá moda sem conforto? Haverá moda sem adequação ao estilo de vida de cada um?

Não quero com isto dizer que algum génio criador em qualquer parte do mundo deva parar de desafiar as leis da moda. Devem continuar a criar sapatos vertiginosos, vestidos bordados, jóias pesadas, chapéus estranhos sem qualquer medo, mas façam-no com o intuito de ser contemplado e para que milhares de pessoas parem para pensar no que estão a tentar transmitir, tal como eu paro para tentar perceber cada significado da Guernica. Afinal, a arte serve para comunicar e expressar algo. 
Com isto, estará na hora de separarmos arte de moda? Vamos continuar a usar ténis e vestidos simples enquanto adoramos uns pumps da Dolce Gabbana, sem nunca querermos enfiar os nossos pés neles enquanto corremos para apanhar o eléctrico. 

Vou continuar a escrever sobre o que penso de uma das indústrias mais fascinantes que conheço. Fiquem atentos. E vão ver o que é a Guernica.





Etiquetas: